Walkman e Discman! Um Tributo aos Players que marcaram gerações

No final da década de 90, dispositivos de música portáteis estavam se aproximando do fim, uma era estava preste a se aposentar. Os primeiros Players de MP3 estavam em desenvolvimento. Logo o iPod chegaria, e fones de ouvido brancos se tornariam o acessório definidor do novo milênio que estava chegando.

Nessa época, o Walkman (o irmão mais velho do Discman), era figura carimbada nas ruas de todo o mundo. Para se ter uma noção, em 1998, a Sony vendeu mais de 175 milhões de Walkman e cerca de 50 milhões de Discman no mundo todo, números que não incluem as inúmeras imitações fabricadas por outras marcas. Esses dispositivos eram companheiros indispensáveis para viajantes, corredores e crianças nos bancos traseiros dos carros — entregando os sons em todos os lugares.

Antes de seguir, vale falar que o walkman teve sua criação marcada por uma longa batalha judicial. Isso porque o primeiro tocador de cassete portátil da história foi na verdade o Stereobelt , criado em 1972 pelo filósofo germano-brasileiro Andreas Pavel . Nascido na Alemanha, Pavel veio para o Brasil ainda na infância.

Quase duas décadas antes, o Walkman tinha sido uma revolução, mas precisamente em 1979, ano de sua estreia, a combinação de imersão musical e mobilidade ilimitada foi uma experiência genuinamente nova. O sucesso imediato, junto a maravilhosa década de 80 e as musicas marcantes, fizeram a mania do walkman algo surreal.

Ele registrou a patente na Itália, Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e Japão. A partir daí, apresentou o protótipo a diversas empresas de tecnologia — entre elas, a Sony, que o recusou. Porém, no ano seguinte, a gigante japonesa introduziu o walkman no mercado. Pavel então iniciou uma longa batalha judicial contra a empresa, onde só conseguiu um acordo milionário com a Sony em 2004.

Chegando na década de 2000, as novas tecnologias presentes estavam deixando os nobres Walkman e Discman defasados, em contraste com os novos dispositivos, que já estavam tocavam o formato da época, o mp3. Dessa maneira, os aparelhos foram perdendo espaço e ficaram na historia.

Em 23 de outubro de 2001, a Apple apresentou o iPod e iniciou uma nova era de música portátil. Os tocadores portáteis digitais dominaram o mercado — a maioria favorecidos pelo preço mais baixo — mas isso não durou muito. Com os smartphones ganhando todas as funções anteriores, tudo que falamos fica na lembrança de época diferentes, onde tudo era consumido de forma diferente.

Hoje, as Playlists são feitas nas plataformas digitais ou por aplicativos de telefones. Baixar e ter acesso as musicas nunca foi tão simples, a forma de consumir musica é bem diferentes de décadas passadas, onde tínhamos as fitas cassetes ou os CD’s, algo que muitos jovens só devem conhecem de nome.